quarta-feira, junho 12, 2024
InícioEsporteO que você precisa saber sobre Asisat Oshoala, o “Seedorf” do futebol...

O que você precisa saber sobre Asisat Oshoala, o “Seedorf” do futebol feminino africano

Mais um passo rumo à final, ou mesmo à Copa? Os Super Falcons da Nigéria se classificaram para as oitavas de final da Copa do Mundo Feminina, onde enfrentarão a Inglaterra na segunda-feira, 7 de agosto, em Brisbane, na Austrália. A seleção feminina nigeriana, a melhor do continente, já havia feito uma boa campanha durante a Copa do Mundo de 2019, na França, antes de ser eliminada nas oitavas de final.

Mais uma vez, a disputa começou com bons presságios, com uma vitória frente à Austrália (3-2), e dois empates frente ao Canadá (0-0) e à Irlanda (0-0). A Nigéria deve este sucesso em particular a Asisat Oshoala. O atacante é sem dúvida o melhor jogador do grupo – ela tem 29 gols pela seleção nacional – e sua habilidade como artilheira do FC Barcelona alimenta as esperanças dos torcedores nigerianos.

Futebol e nada mais

Asisat Oshoala nasceu em 9 de outubro de 1994 em Ikorodu, um subúrbio lotado de Lagos, dentro de uma família muçulmana iorubá. Seu pai, Alhaji, é polígamo. Foi com uma de suas esposas, Alhaja, que ele teve Asisat. Ela também tem cinco irmãos. Se muitos de seus companheiros de seleção cresceram em certa precariedade, ela, ao contrário, teve uma infância relativamente confortável.

Os seus pais, comerciantes de áreas tão diversas como a moda e o ouro, conseguem assim financiar os estudos de vários dos seus filhos na Universidade de Lagos. Também foi prometido ao jovem Asisat seguir o mesmo caminho e depois ingressar no negócio da família. Isso sem levar em conta seu desejo ardente de seguir carreira profissional no futebol, para grande consternação de seus pais.

Aos 15 anos, Asisat Oshoala decidiu dedicar sua vida ao futebol. Conhecida por seu caráter assertivo, a jogadora de futebol iniciou sua carreira em dois clubes locais, Robo Queens e Rivers Angels. É neste último, radicado em Port-Harcourt, que um jovem atacante, longe da família, se destaca por acumular gols e títulos (um campeonato e uma taça), e ganhar algumas nairas. O Liverpool inglês decidiu transferi-la em 2015.

Europa-China, uma viagem de ida e volta vencedora

Ainda jogando em seu país, Asisat Oshoiala disputou a Copa do Mundo Sub-20, no Canadá, em 2014, um ano próspero para um jovem jogador. A Nigéria chegou à final daquele ano contra a Alemanha, e o atacante terminou como artilheiro da competição, com sete gols marcados. Ainda em 2013, conquistou a Copa das Nações Africanas com a seleção A. Marcou quatro gols e foi, mais uma vez, eleita a melhor jogadora da competição. Apresentações que não passam despercebidas na Europa, e particularmente na Inglaterra.

Primeiro no Liverpool, depois no Arsenal, Oshoala não se firmou completamente. Em 2017, decidiu decidir se inscrever na China, em Dalian Quanjian. Sua carreira sim assumir outra dimensão. Ela ganha mais dinheiro lá, joga regularmente. E marca muitos gols. O suficiente para que em 2018 os europeus voltem mais uma vez o seu olhar para ela. Naquele ano, o FC Barcelona pediu-lhe que regressasse ao Velho Continente. Depois de um ano na Ásia, Asisat Oshoala está novamente fazendo as malas e rumo à Espanha.

“Seedorf”

Melhor seleção da África, a Nigéria venceu o CAN onze vezes, incluindo três com Oshoala em 2014, 2016 e 2018. Entre outros títulos coletivos, o futebolista, uma das jogadoras africanas de maior sucesso coletivamente, conquistou dois campeonatos e duas Ligas dos Campeões com FC Barcelona,​​uma FA Cup com o Arsenal e um campeonato chinês.

A nível individual, aquele apelidado de “Seedorf”, em homenagem ao ex-internacional holandês e ex-técnico camaronês Clarence Seedorf, foi eleito cinco vezes o melhor jogador africano. Em 2015, a BBC concedeu-lhe o prémio de Melhor Jogadora do Mundo e liderou o ranking dos artilheiros da Espanha em 2021-2022.

Um gol contra a Suécia (3 a 3) em 2015, outro contra a Coreia do Sul em 2019 e um terceiro na vitória contra a Austrália (3 a 2), em 27 de julho: Asisat Oshoala alcançou o desempenho de marcar um gol em cada fase final da Copa do Mundo, que nenhuma mulher africana tinha feito antes dela. Ela ainda pode esperar melhorar suas estatísticas contra a Inglaterra, e ainda mais, se os Super Falcons vencerem.

Asisat Oshoala, muito popular no seu país, vê a sua notoriedade muito além das fronteiras da Nigéria. Em 2014, o agressor foi condecorado com a Ordem da Nigéria por Goodluck Jonathan, então Presidente da República. Uma celebridade que coloca ao serviço da fundação que criou em 2019, cuja principal missão é promover o empoderamento dos futebolistas africanos, e majoritariamente subsaariana.

Yann Amoussou
Yann Amoussouhttps://afroapaixonados.com
Nascido no Benim, Yann AMOUSSOU trouxe consigo uma grande riqueza cultural ao chegar ao Brasil em 2015. Graduado em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília, ele fundou empreendimentos como RoupasAfricanas.com e TecidosAfricanos.com, além de coordenar o projeto voluntário "África nas escolas". Com 27 anos, Yann é um apaixonado pelo Pan-Africanismo e desde criança sempre sonhou em se tornar presidente do Benim. Sua busca constante em aumentar o conhecimento das culturas africanas o levou a criar o canal de notícias AfroApaixonados
ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Anúncio de parceiro - Clique para acessarspot_img

Mais Populares

Comentários recentes