terça-feira, dezembro 5, 2023
InícioJustiçaNo caso Bouthier, Marrocos solicitará a criação de uma comissão rogatória em...

No caso Bouthier, Marrocos solicitará a criação de uma comissão rogatória em França

O advogado das partes civis no caso do escândalo sexual envolvendo o ex-chefe francês Jacques Bouthier e vários dos seus colaboradores em Marrocos, fez o anúncio oficial, sábado, 15 de julho, durante uma conferência de imprensa em Rabat. “O Tribunal de Tânger aceitou o nosso pedido de criação de uma comissão rogatória em França. O procedimento está em andamento”, indicou Me Aïcha Guellaa, também presidente da Associação Marroquina para os Direitos das Vítimas (AMDV).

Segundo Me Guellaa, esta comissão terá Pára objectivo de ouvir Jacques Bouthier, que é ao mesmo tempo indicado em França por, entre outras coisas, “tráfico de seres humanos” e “violação de menor”. Com 76 anos, o ex-CEO do grupo de corretagem de seguros Assu 2000 foi libertado sob fiança e sob supervisão judicial, por motivos médicos, em março de 2023, após dez meses de detenção.

“Não há esperança na justiça francesa”

“A justiça francesa não teve coragem face à pressão financeira (…), não teve coragem de processá-lo em estado de detenção”, lamentou o advogado. “Não temos esperança de que a justiça francesa seja capaz de fazer justiça às vítimas”, acrescentou.

Se Jacques Bouthier não for processado nesta fase em Marrocos, oito dos seus colaboradores – seis marroquinos, incluindo duas mulheres, e dois franceses – serão processados ​​por “tráfico de seres humanos” e “assédio sexual”, “incitamento à libertinagem” e “não denúncia de crimes tentados ou consumados”.

Quatro de entre Eles atualmente estão detidos enquanto os outros estão em liberdade provisória. O seu julgamento deverá ser retomado no dia 25 de julho perante a câmara criminal de primeira instância do Tribunal de Recurso de Tânger.

Seis demandantes que são partes civis

Além disso, “uma nota de investigação foi lançada pelo procurador-geral do Tribunal de Recurso de Tânger contra um suspeito que foi descoberto para França”, disse o advogado Abdelfattah Zahrach. Trata-se do ex-gerente geral da participação de Tânger da Assu 2000 (renomeada Vilavi), um franco-tunisiano, segundo a AMDV.

O caso foi iniciado em Marrocos após denúncias de ex-funcionários apresentados em junho de 2022 em Tânger. Os alegados atos ocorreram entre 2018 e abril de 2022 em filiais do grupo, então liderados por Jacques Bouthier.

No total, seis demandantes retornaram como partes civis. Testemunharam sobre assédio sexual sistemático, ameaças e intimidação dentro da corretora de seguros em Tânger, num clima de precariedade social.

(Com AFP)

Yann Amoussou
Yann Amoussouhttps://afroapaixonados.com
Nascido no Benim, Yann AMOUSSOU trouxe consigo uma grande riqueza cultural ao chegar ao Brasil em 2015. Graduado em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília, ele fundou empreendimentos como RoupasAfricanas.com e TecidosAfricanos.com, além de coordenar o projeto voluntário "África nas escolas". Com 27 anos, Yann é um apaixonado pelo Pan-Africanismo e desde criança sempre sonhou em se tornar presidente do Benim. Sua busca constante em aumentar o conhecimento das culturas africanas o levou a criar o canal de notícias AfroApaixonados
ARTIGOS RELACIONADOS
0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Anúncio de parceiro - Clique para acessarspot_img

Mais Populares

Comentários recentes